quarta-feira, 25 de outubro de 2017

DOUTOR RISADINHA apresenta o SMILE MIRROR - só funciona se sorrirmos!

Booaaa taardeee Pessoal Risonho, tudo bem? Estou contente por compartilhar com vocês esta notícia sensacional e que vem ao encontro do que defendo em minhas palestras. Ela foi publicada hoje (25/out/17) no site TechBreak do Portal IG, com o título “Designer cria espelho que só funciona se a pessoa sorrir” e no site Observador de Portugal . É o Smile Mirror, cuja missão é motivar pacientes com câncer a sorrir. Confiram a matéria na íntegra:

Caso você acorde em um daqueles dias, nem passe em frente ao espelho high-tech criado pelo designer turco Berk Ilhan. Este é o Smile Mirror, inventado por ele para motivar as pessoas, principalmente pacientes que enfrentam câncer.

O aparelho parece com um tablet com uma tela opaca. Na parte superior há uma câmera conectada a um software de reconhecimento facial que captura todas as nuances do rosto.
  

Assim que parar na frente do gadget, ele só mostra o seu reflexo caso o software detecte um sorriso.


O designer passou dois anos desenvolvendo o produto enquanto fazia seu mestrado em Artes Visuais em Nova York. “Eu aprendi que suporte moral e apoio social são dois fatores muito positivos durante a batalha de um paciente”, disse o designer ao site da CNN.


Ilhan passou esse tempo visitando hospitais especializados no tratamento de câncer conversando com pacientes, cuidadores e oncologistas. Ele então percebeu como o sorriso pode ser uma ferramenta importante na cura para diminuir o estresse e até elevar o sistema imunológico.

O Smile Mirror surgiu de uma conversa com uma paciente. “Ela me disse que nos primeiros dias após receber o diagnóstico foi muito difícil olhar no espelho para ter a realidade de que tinha câncer. Nossas expressões faciais afetam a maneira como nos sentimos. Se nós usarmos os músculos do sorriso, nosso cérebro entende que algo bom aconteceu”, afirmou.

A razão, diz o The Guardian, está na ideia de que quando sorrimos — mesmo que seja um sorriso falso — isso nos faz sentir melhor e que o riso pode melhorar a função imunitária e até ajudar-nos a viver durante mais anos.

Ilhan agora está produzindo o Smile Mirror que está estimado para ser vendido entre os 2 mil e 3 mil dólares (isto é, entre 1.697 e 2.545 euros). Segundo o The Guardian, a ideia passará brevemente por um processo de angariação de fundos (financiamento coletivo) no site Kickstarter, para que Ilhan consiga produzir mais espelhos destes (e baixar o preço para abaixo de 500 dólares — 424 euros). A ideia é também conseguir doar alguns destes espelhos a hospitais.

E mais uma vez aproveito para solicitar à todos que me ajudem na divulgação desta matéria, do blog Espaço do Riso e tornarem-se SEGUIDORES para acompanhar tudo o que rola sobre os benefícios que o Riso e Bom Humor proporcionam à nossa saúde e relacionamentos pessoais e profissionais.

Sempre que precisar realizar eventos motivacionais, lembre-se de Marcelo Pinto – www.palestrantedobomhumor.com.br ! Desenvolvemos palestras e treinamentos criativos e com uma das melhores relações custo x benefício existentes no mercado.

Abraços, SORRIA E TENHA UM BOM DIA ®


ATENÇÃO! O Espaço do Riso não têm como objetivo diagnosticar ou tratar qualquer tipo de doença ou problemas físicos. Os artigos do blog são extraídos da própria internet, jornais e revistas. "Eles não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas"

terça-feira, 24 de outubro de 2017

DOUTOR RISADINHA recomenda: Sorria, rompa os padrões que você impôs a si mesmo!

Booomm Diiiaaaa Pessoal Sorridente, tudo beleza? Hoje compartilho com vocês um artigo publicado há exatamente um ano (23 de outubro de 2016) no site A Mente Maravilhosa, intitulado “Sorria, isso confunde as pessoas” baseado na obra “O Adolescente” de Dostoiévski. Dentre muitas frases maravilhosas, adorei esta: “O sorriso, assim como as mãos e os pés, são os traços mais reveladores de uma pessoa”. Confiram muitas outras, com a leitura na íntegra abaixo:


O escritor Fiódor Dostoiévski afirma em seu livro “O Adolescente” que se quisermos conhecer a verdadeira alma de alguém deveríamos prestar atenção na sua risada. O sorriso, assim como as mãos e os pés, são os traços mais reveladores de uma pessoa.

Um dia alguém pode gargalhar e mostrar sua alma em um segundo. O riso pode ser contagioso, natural, verdadeiro, ou simplesmente uma mentira. Existem pessoas que riem sem saber o porquê, seja porque surge uma emoção espontânea ou, ao contrário, porque surge a necessidade de agradar com uma resposta o que os outros expressam.

Numa escala “evolutivamente inferior” no que se refere ao campo da franqueza emocional, nós encontramos o sorriso. Não tão grande, não tão chamativo. Certamente mais austero em intensidade e mais frequente, o sorriso é o rótulo pessoal e psicológico que já vem de fábrica.

Às vezes é tremendamente poderoso. Prove. Sorria e confunda as pessoas. Elas podem se sentir agradecidas ao ver um sorriso em seu rosto. Que ao final do dia seu sorriso desemboque em risadas e gargalhadas tão irresistíveis como as de uma criança.

O sorriso, o filho da gargalhada e o nosso aliado emocional

Às vezes, ainda que estejamos quebrados por dentro e levemos alguns dias sem mostrá-lo, seria conveniente começar a esboçar um sorriso, não pela absurda imposição de mostrar-se feliz se você não está, mas sim para brindar a oportunidade de desafiar o que você sente, fazendo o que você precisa para começar a se recuperar.

Não se trata de se enganar, mas sim de fazer um favor a si mesmo. Rompa os padrões e os ditados que impõem suas emoções e sentimentos de desilusão, você não deve se mostrar leal a eles se isso significa sentir-se cada vez pior.

Esboce um sorriso em seu rosto para mostrar a si mesmo que você pode ser mais forte do que uma tristeza temporária: experimente o desafio de sorrir apenas um momento e mostrá-lo aos outros ainda que leve dias sem querer fazê-lo. Desafie seus desejos com seus fatos.

Sorria, rompa os padrões que tão fortemente você impôs a si mesmo

Às vezes acreditamos que ser fiéis a nós mesmos é agir literalmente da maneira como nos sentimos. Isso não corresponde exatamente com a realidade e é negativo para a nossa vida e para a daqueles que nos cercam. Ser fiel a seus princípios e a seus valores é diferente de ser um escravo do seu humor.

Agimos seguindo as ordens da nossa mente. “Como me sinto mal me permito o luxo de estar de mau humor. Não posso fazer nada. Os outros terão que aguentar, porque se estou de mau humor, triste ou estressado, é assim que funciona”.

Cumprindo com essas diretrizes na realidade você não é mais livre, você é um escravo do que pensa que precisa fazer sem remédio e, além disso, você entra numa rua sem saída. Como sair? Muito fácil, sorria e confunda os outros. Sorria e olhe-se no espelho, confunda a si mesmo às vezes.

É uma contradição que traz bons frutos à longo prazo. Rompa a monotonia do seu rosto e desafie o seu humor. Demonstre que “levantar com pé esquerdo” não o obriga a mancar durante o dia inteiro. Demonstre ao seu mundo interior que a realidade às vezes pode desafiá-lo, com lucro para você e para os outros que o cercam.

Sorria, confunda as pessoas que se acostumaram a vê-lo com poucas palavras e sem disposição. Sorria, confunda a si mesmo e seja presa dessa contradição, como um jogo ou um enigma emocionante. Sorria ainda que sinta vergonha de seus dentes imperfeitos, seu humor triste ou sua falta de disposição.

Sorria porque ninguém conhece o poder do seu sorriso até que você o empregue em seu dia a dia. Faça um favor ao mundo, tão acostumado a receber o fel que se sente excitado ao perceber o mel do seus lábios. Sorria sem dar-se conta do poder que desprende: você se verá envolto em algumas gargalhadas. A alegria é espontânea, mas o sorriso é o estímulo que pode desencadeá-la em você e nos outros.

E mais uma vez aproveito para solicitar à todos que me ajudem na divulgação desta matéria, do blog Espaço do Riso e tornarem-se SEGUIDORES para acompanhar tudo o que rola sobre os benefícios que o Riso e Bom Humor proporcionam à nossa saúde e relacionamentos pessoais e profissionais.

Sempre que precisar realizar eventos motivacionais, lembre-se de Marcelo Pinto – www.palestrantedobomhumor.com.br ! Desenvolvemos palestras e treinamentos criativos e com uma das melhores relações custo x benefício existentes no mercado.

Abraços, SORRIA E TENHA UM BOM DIA ®

ATENÇÃO! O Espaço do Riso não têm como objetivo diagnosticar ou tratar qualquer tipo de doença ou problemas físicos. Os artigos do blog são extraídos da própria internet, jornais e revistas. "Eles não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas"

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

DOUTOR RISADINHA DESTACA 10 BENEFÍCIOS INTERESSANTES SOBRE O RISO

Bom dia pessoas risonhas, aproveitaram o Feriado? Hoje para descontrair, compartilho com vocês 10 coisas interessantes que você não sabia sobre o riso, publicadas em 12 de outubro de 2017 no site “Fofoca ORG”. Nada que eu tenha deixado de destacar em minhas palestras, mas sempre é bom relembrar e reforçar:

Aqui estão dez curiosidades sobre o riso que vai fazer você… Bem, pelo menos, sorrir:


1. É uma medicina
Rir aumenta os níveis de cortisol em seu corpo. O cortisol é uma hormona que tem um papel ativo na luta contra os invasores, tais como vírus e bactérias, e estimula o sistema imunológico. Então, quando você ri, você literalmente torna se mais forte.

2. Ele combate o estresse
Isso dificilmente seria novidade para ninguém, mas tem sido cientificamente comprovado que rir alivia o stress.

3. É contagioso
É como bocejar. Estudos têm demonstrado que bocejar quando alguém boceja é como um sinal de empatia. Isto significa basicamente que é uma interação social. O mesmo vale para o riso.

4. É uma forma de exercício
Não, ele não vai ajudá-la a reduzir dois tamanhos em um mês, mas ele faz queimar calorias e aumenta o ritmo cardíaco, o que, se você está preso atrás de uma mesa na maioria do dia, é algo a se considerar, não é? Além disso, é divertido e melhor que suar em que bicicleta de academia.

5. É uma coisa de grupo, a maior parte do tempo
Estamos mais propensos a rir de um filme de comédia ou uma piada, se estamos com alguém, especialmente que conhecemos e gostamos, do que se nós estivermos só. Isso suporta a teoria de que o riso é uma coisa social. Mas quem se importa? Histórias da vida real mostram que às vezes rimos de nós mesmos. Não se preocupe com a sua sanidade mental, o riso é bom para você!

6. Ela estimula o sistema imunológico
Vamos referir-se a cientistas novamente. Estudos descobriram que o riso ativa as células guerreiras que lutam contra formações malignas. Em outras palavras, rir pode ajudar a reduzir o risco de desenvolver câncer, entre muitas outras coisas, é claro!

7. É uma coisa de mulher
Sim. As mulheres riem mais do que os homens. Claro, isso pode ser (assim diz a pesquisa), porque as mulheres tendem a rir de piadas de seus homens apenas para mostrar seu amor, mas o fato permanece. E não, isso não significa que as mulheres não são tão engraçadas quanto os homens, e as comediantes estão aí para provar isso.

8. Não é sobre as piadas
Pense sobre a última vez que você riu tanto que realmente chorou. Estamos dispostos a apostar que não estava apenas assistindo o mais recente “Big Bang Theory” ou outra comédia. Ou talvez estivesse assistindo a um seriado, mas em companhia especial. A coisa é, piadas não são uma causa necessária do riso, às vezes apenas discutir o seu dia agitado com uma amiga próxima pode dar-lhe mais risos do que mesmo a melhor comédia.

9. Faz laços mais fortes
Isso é igualmente válido para os relacionamentos românticos e para o escritório. Basta pensar nisso – você não se sentiria mais feliz trabalhando ao lado de pessoas com quem você pode rir? Quanto ao aspecto romântico do riso, aqui está uma outra pergunta: você pode ser feliz com um homem que não ri? Claro que não, razão pela qual os casais que riem mais são mais propensos a ficar juntos. Isso é o que a ciência diz.

10. Isso faz você ainda mais bonita
Ok, você pode acreditar que fazer beicinho é atraente, mas isso só é verdadeiro por um tempo, e um tempo curto. E aqui está um grande bônus: o riso é literalmente livre de efeitos colaterais. É tudo de bom!

Então é isso aí pessoal! Aproveito para solicitar à todos que me ajudem na divulgação desta matéria, do blog Espaço do Riso e tornarem-se SEGUIDORES para acompanhar tudo o que rola sobre os benefícios que o Riso e Bom Humor proporcionam à nossa saúde e relacionamentos pessoais e profissionais.

Sempre que precisar realizar eventos motivacionais, lembre-se de Marcelo Pinto – www.palestrantedobomhumor.com.br ! Desenvolvemos palestras e treinamentos criativos e com uma das melhores relações custo x benefício existentes no mercado.

Abraços, SORRIA E TENHA UM BOM DIA ®


ATENÇÃO! O Espaço do Riso não têm como objetivo diagnosticar ou tratar qualquer tipo de doença ou problemas físicos. Os artigos do blog são extraídos da própria internet, jornais e revistas. "Eles não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas"

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

DOUTOR RISADINHA apresenta PAUL PUGH e a PBA (incontinência emocional) conhecida popularmente como “RISADA PATOLÓGICA”

Bom dia Pessoal, tudo bem com vocês? Desejo que estejam aproveitando ao máximo este feriadão de 12 de outubro, lembrando que além de celebrarmos o nosso dia (Dia da Criança), também celebramos o dia de nossa Mãe Padroeira (Nossa Senhora). Celebração dupla, heim! Leegaaalll!

Hoje compartilho com vocês uma matéria muito interessante divulgada pelo BBC e publicada ontem na seção Bem Estar do Portal G1, com o título: 'Lesão cerebral provocada por espancamento brutal me deixou com risada patológica', contando o caso de Paul Pugh ficou em coma por mais de dois meses e, durante a recuperação, começou a ter ataques de riso sem sentido: ''achavam que eu queria chamar a atenção'. Confiram a matéria abaixo:



'A vida tem sido uma luta para mim', diz Pugh (Foto: Headway)

Era a reunião mais difícil de sua vida. Paul Pugh estava sendo informado sobre como seria seu futuro após uma lesão cerebral. E riu durante todo o encontro, apesar de ter a sensação de estar chorando. Esse riso, mais tarde, seria explicado: ele acabou diagnosticado com risada patológica.

Tudo começou em 2007, quando Pugh, hoje com 37 anos, aproveitava uma noitada com seus companheiros de time, Cwmaman Football Club, e foi vítima alvo de um ataque inesperado.
Ao sair de um pub em Carmarthenshire, sua cidade natal, no País de Gales, ele foi abordado por quatro homens desconhecidos, que começaram a espancá-lo e chutá-lo repetidas vezes.

Pugh sofreu traumatismo craniano e ficou em coma por mais de dois meses. Um coágulo de 10 cm x 4 cm se formou em seu cérebro, deixando algumas sequelas, como dificuldade de fala, fadiga crônica e dificuldade de mobilidade, que o levou à cadeira de rodas.

"Eu tive de aprender a caminhar e conversar novamente e aceitar o fato de que nunca me recuperarei completamente", diz. "A vida tem sido uma luta para mim e minha família, mas estamos batalhando", completa.

Pugh passou 13 meses no hospital -- por volta do quarto, teve seu primeiro ataque de riso.
"Era uma reunião séria com meu especialista, meu fisioterapeuta e minha família para discutir como seria minha vida e meu futuro", recorda. "Quando eles começaram a falar sobre mim, fiquei assustado e isso desencadeou algo no meu cérebro: eu ri durante toda a reunião."

"Na verdade, eu estava chorando copiosamente, mas externamente saiu como riso."
'A vida tem sido uma luta para mim', diz Pugh 

Ceticismo
A princípio, ninguém entendeu seu comportamento. Até a família achou que ele estivesse "fazendo cena em público, que queria chamar a atenção".

Passaram-se vários anos até que os ataques de riso de Pugh fossem diagnosticados como risada patológica, ou doença pseudobulbar (conhecida como PBA, na sigla em inglês, ou incontinência emocional).

A condição aparece quando há uma desconexão entre o lobo frontal do cérebro, que mantém as emoções sob controle, e o cerebelo e tronco cerebral, que regulam a expressão da emoção. Trata-se de uma verdadeira linha cruzada.

A PBA pode afetar pacientes com determinadas condições ou lesões neurológicas, como acidente vascular cerebral, esclerose múltipla ou Alzheimer. "O termo se refere à expressão descontrolada da emoção que é desproporcional ou inapropriada ao contexto social, e pode ser inconsistente com o que a pessoa realmente está sentindo", explica Andy Tyerman, neuropsicólogo clínico da Headway, instituição voltada para reabilitação após lesões cerebrais.
"A pessoa também pode parecer muito aflita em relação a algo que antes seria pouco perturbador", completa.

No caso de Pugh, ele riu quando pensou que estava chorando. "Eu sei quando estou rindo ou chorando, mas outras pessoas não", diz. "Alguns ficam aborrecidos e reagem sendo sarcásticos comigo, ou até mesmo com agressividade, e tentam ferir meus sentimentos porque acham que estou rindo deles", conta.

"É incrível o quão importante a risada é. Você nunca pensa nisso, mas ela tem um efeito muito poderoso, compartilhar uma piada com alguém é algo especial."

Cuidados
Pugh conta que sua família é muito compreensiva. Sua mãe virou sua cuidadora em tempo integral, auxiliando na questão da mobilidade. Seu pai, de 72 anos, ainda trabalha, e seus irmãos - Simon e Matthew - também o ajudaram na última década.

Ele diz que o diagnóstico o "atingiu em cheio" e que às vezes atrai atenção indesejada, mas que agora consegue sentir quando um episódio de riso patológico é iminente. "Eu sinto uma risada chegando alguns segundos antes - às vezes consigo controlar, mas tem vezes que o som sai. A risada não dura muito, um minuto no máximo, mas pode causar muitos problemas se as pessoas não entenderem."

Pugh desenvolveu seu próprio método para evitar uma crise - "pensando em algo ou alguém ruim, mas sem sentimento" - e estima conseguir controlar nove entre cada dez ataques de riso.

Os últimos dez anos têm sido "extremamente duros", conta. Ele teve de abrir mão do trabalho como eletricista e agora passa seu tempo em terapias ou visitas à instituição Headway, que lhe deu "uma perspectiva sobre como é estar com pessoas com lesões cerebrais" e mostrou que ele não estava sozinho. "Desde o incidente, encontramos as pessoas mais incríveis do mundo, todas querendo me ajudar", diz.

"Por outro lado, me sinto como se estivesse sob prisão domiciliar porque a lesão afetou minha mobilidade e equilíbrio, preciso de ajuda sempre que saio de casa", acrescenta.

Contra a violência
Em 2014, Pugh deu início à Paul's Pledge, uma campanha para educar as pessoas sobre a violência incitada pelo álcool, que também tem a participação da polícia local.
Pugh faz visitas a escolas, faculdades e clubes juvenis e, segundo ele, a resposta tem sido "absolutamente fantástica" -- "eles podem ver que é real, e não teatral".

"Esta é a minha vida agora - eu superei o que aconteceu", conta ele. "Há muitas coisas que eu não posso fazer - mas esta (campanha) eu posso. Eu acho que ela passa uma mensagem poderosa para o mundo. Eu não quero ver ninguém na situação em que eu e minha família ficamos."

Os quatro homens responsáveis ​​pelo ataque a Pugh foram condenados com penas de nove meses a quatro anos de prisão. "Aquele que me chutou com toda a força na cabeça, e quase me matou, foi solto. E quanto a mim? Dez anos depois, ainda estou cumprindo minha sentença", conclui.

Então é isso aí pessoal! Aproveito para solicitar à todos que me ajudem na divulgação desta matéria, do blog Espaço do Riso e tornarem-se SEGUIDORES para acompanhar tudo o que rola sobre os benefícios que o Riso e Bom Humor proporcionam à nossa saúde e relacionamentos pessoais e profissionais.

Sempre que precisar realizar eventos motivacionais, lembre-se de Marcelo Pinto – www.palestrantedobomhumor.com.br ! Desenvolvemos palestras e treinamentos criativos e com uma das melhores relações custo x benefício existentes no mercado.

Abraços, SORRIA E TENHA UM BOM DIA ®


ATENÇÃO! O Espaço do Riso não têm como objetivo diagnosticar ou tratar qualquer tipo de doença ou problemas físicos. Os artigos do blog são extraídos da própria internet, jornais e revistas. "Eles não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas"

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

DOUTOR RISADINHA DECLARA: SEGUNDA - FEIRA É O DIA MAIS FELIZ! CONCORDA?


Boa tarde Turminha do Riso, tudo bem com vocês nesta véspera de Feriadão? Hoje compartilho uma pesquisa divulgada em 09 de outubro de 2017 no site da Revista Galileu, que comprova: “segundas-feiras são difíceis para (quase) todo mundo”.



Eu particularmente adoro a segunda-feira (dá para perceber na foto acima???), principalmente por ser dia de renovação e expectativa de novos negócios, pois ainda temos a semana inteira pela frente. Concordam? Se não, confiram a íntegra da pesquisa abaixo:

Você não está sozinho. O humor das pessoas melhora ao longo da semana, chegando ao ápice no sábado.

Não é só a opinião do Garfield: a segunda-feira é considerada o dia mais infeliz da semana por milhares de pessoas ao redor do mundo. Foi a conclusão a qual chegaram pesquisadores do Centro de Sistemas Complexos da Universidade de Vermont, nos Estados Unidos, em novo estudo.

Os cientistas criaram uma ferramenta virtual chamada Hedonometer, a partir da qual conseguem monitorar milhões de mensagens enviadas pelo Twitter desde 2008. Para a pesquisa, eles pegaram uma amostra de 50 milhões de tweets (10% dos publicados desde a criação do serviço) e os analisaram a "quantidade" de felicidade neles com base em palavras em inglês associadas com o sentimento.

Observou-se que segunda-feira é o dia mais triste para os usuários do Twitter. O humor vai melhorando ao longo da semana, atingindo seu ápice no sábado, antes de despencar novamente.

Os dados também oferecem alguns insights sobre como as pessoas reagiram a determinados eventos. Segundo a pesquisa, o dia seguinte ao ataque de Las Vegas, 2 de outubro deste ano, foi o mais triste da história da rede social, com o pico de tristeza associado a palavras como tiroteio, armas, vítimas e terrorismo.

Os pesquisadores também ressaltam o dia 2 de maio de 2011 como um ponto de negatividade no Twitter: a data marca a morte de Osama Bin Laden e, de acordo com o estudo, os resultados refletem o fim de "um personagem visto de forma negativa recebendo um fim negativo".

O Centro de Sistemas Complexos da Universidade de Vermont continua compilando dados relacionados a diferentes eventos. Eles já mapearam, por exemplo, a felicidade por estados americanos, e os tipos de livros que deixam as pessoas mais felizes. Confira as pesquisas e resultados (em inglês) no link: http://hedonometer.org/index.html

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

RECOMENDAÇÃO DE LEITURA DO DOUTOR RISADINHA PARA ESTE FINAL DE SEMANA: PORQUE RIR AINDA É O MELHOR NEGÓCIO!

Fala aí Pessoal, tudo beleza com vocês? Hoje compartilho uma matéria muito legal publicada em 31/07/2017 no site da Época Negócios Online com o título “Por que o bom humor é importante para os negócios”. 

Para quem tiver interesse em se aprofundar neste assunto, recomendo a leitura do meu livro “O Método S.M.I.L.E. para Gestão do Humor no Ambiente de Trabalho – Um Guia Prático para Humanização Corporativa” que abrange o conteúdo desta matéria, apresentado abaixo em sua íntegra.

Tenham todos uma boa leitura durante este excelente e divertido final de semana!


Você não é tão engraçado quanto deveria, e sua empresa é prejudicada por causa disso. 
O Humor é uma ferramenta efetiva de poder, mas pouco utilizada.

Pessoas que lidam com negócios não são divertidas. Estatisticamente, quem trabalha na área vai perdendo seu senso de humor com o tempo. E mesmo que ainda tenha, provavelmente não demonstra essa característica no ambiente de trabalho. Uma pesquisa recente realizada pela Gallup revelou que as pessoas riem significativamente menos nos dias de semana, comparado ao final de semana. Além disso, o levantamento sugeriu que, à medida em que as pessoas envelhecem, param de rir com mais frequência. Mas isso pode estar prejudicando seus negócios e sua empresa, defende Joel Stein, em artigo publicado no site da escola de negócios de Standford.

Outro estudo realizado pelas professoras Jennifer Aaker e Naomi Bagdonas sugerem que quando as pessoas entram no mercado de trabalho, a frequência com que riem e sua percepção sobre se são engraçadas caem consideravelmente.

Mas o humor é uma ferramenta efetiva e pouco utilizada de poder, que oferece uma vantagem competitiva contra os pares, aumenta a retenção de funcionários, proporciona soluções inovadoras e cria equipes mais resilientes ao estresse.

“Se você é uma pessoa que lida com negócios, provavelmente não tem muito tempo para ler porque precisa voltar ao trabalho, o que o leva a se perguntar: há alguma metáfora para que eu possa me lembrar depois de usar o humor no ambiente de trabalho?”, escreve Stein. A resposta é sim: pontes e escadas.

Pontes são estruturas construídas para criar ligações, aumentar confiança e fortalecer culturas. O humor é um ponto porque a risada estimula a produção de oxitocina, um hormônio que facilita a criação de laços sociais, aumenta a confiança e amplia o autoconhecimento. Tudo isso é importante no ambiente de trabalho – e outras formas de liberar oxitocina, como sexo e uso de drogas, costumam ser proibidas pelo departamento de recursos humanos.

Em um estudo de 2015, os psicólogos Alan Gray, Brian Parkinson e Robin Dunbar fizeram metade dos participantes assistirem a vídeos engraçados, enquanto os demais assistiram vídeos "neutros". Depois disso, as pessoas deveriam participar de exercícios de autoconhecimento com estranhos. Aqueles que haviam assistido a vídeos divertidos revelaram 305 mais informações sobre si mesmos do que os outros.

E quando se trata de pessoas conhecidas, compartilhar risadas e momentos divertidos facilita a aproximação. Em uma pesquisa de 2007, liderada pela psicóloga Doris Bazzini, mostrou que casais que se lembram de momentos quando riram juntos são mais satisfeitos em seu relacionamento do que aqueles que lembravam de memórias positivas, mas que não eram engraçadas.

Mas como usar o humor no ambiente de negócios? Primeiro, ria dos seus defeitos. Isso humaniza os líderes, cria conexões com os funcionários e faz você parecer mais poderoso do que é – afinal, se você pode brincar com suas falhas, deve ser muito confiante de suas habilidades. A prática também mostra aos funcionários que é permitido ser engraçado. Rir de si mesmo, porém, pode manchar sua credibilidade se você está em uma posição mais baixa na organização.

Se você está em uma posição gerencial ou acima ou ainda acabou de conhecer seu interlocutor, é melhor evitar piadas agressivas. Em vez disso, use o humor para destacar opiniões em comum ou concorrentes.

E nunca faça uma piada às custas de um funcionário – ria de você, não dos outros. É bom também tentar perceber se as suas piadas são mesmo engraçadas ou se as pessoas só estão rindo porque estão abaixo de você na hierarquia corporativa.

O humor tem também outra função – a de escada, para aumentar o seu status. Pesquisas conduzidas em 2016 por Brad Bitterly, Alison Wood Brooks e Maurice Schweitzer mostraram que quando alguém faz uma piada no ambiente profissional, tende a ser visto pelos colegas como mais competente.

Um dos ambientes mais efetivos para usar o humor no ambiente de trabalho é em uma mesa de negociação, onde as piadas podem servir como ferramenta de persuasão. Os pesquisadores Karen O’Quinn e Joel Aronoff estudaram um grupo de pessoas durante uma negociação de obras de arte. Quando os vendedores concluíam a oferta final com uma piada, os participantes pagavam 18% mais pelas obras.

O humor também pode facilitar a memorização. O investidor David Hornik afirma que reuniões de conselhos normalmente vão “de tediosas a tristes, então se alguém estiver disposto a correr o risco de fazer uma piada, o valor disso é incrível. As pessoas vão se lembrar”. O biólogo John Medina, autor do livro Brain Rules (As regras do Cérebro, em tradução livre), concorda. Ele afirma que “o cérebro não presta atenção a coisas chatas”. Além disso, a oxitocina, liberada com a risada, ajuda na memória e no processamento de informações.

Outro benefício: ser engraçado pode te ajudar a conseguir um emprego. Uma pesquisa realizada com mais de 700 CEOs mostrou que 985 dos executivos preferem candidatos que demonstram senso de humor e que 84% pensam que as pessoas assim trabalham melhor.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

DOUTOR RISADINHA REFORÇA: O RISO DEIXA O HOMEM MAIS ATRAENTE!

Booommm Diiiaaaa Pessoooaaallll , tuudoooo beeemmm! A dica que trago hoje vale um milhão!!!! De beijos e sorrisos... rs rs rs. E o que é melhor é que para quem já assistiu minha palestra “Riso de Mulher”, isso não é novidade: Um estudo canadense concluiu que homens engraçados são mais atraentes para as mulheres do que homens sérios.



Com o título “Esta simples dica deixa os homens mais atraentes”, o site Hype Science” publicou recentemente um estudo realizado pelo psicólogo canadense Daniel Doerksen, da Universidade de Simon Fraser e apresentado no início do mês de agosto de 2017 no encontro anual da Associação Americana de Psicologia. Confiram abaixo:

Um estudo canadense concluiu que homens engraçados são mais atraentes para as mulheres do que homens sérios. O experimento aconteceu em um evento para encontro-relâmpago, aquele em que os participantes têm poucos minutos para se apresentar para o parceiro em potencial.

“O humor tem o poder de influenciar”, diz o autor principal do trabalho, Daniel Doerksen, que completou a pesquisa durante a graduação em psicologia na Universidade de Simon Fraser (Canadá).

Estudos anteriores já haviam sugerido que quando uma pessoa é atraente, outros a veem como mais engraçada do que pessoas menos atraentes. Mas não há muitas pesquisas mostrando o contrário.

Para medir esse nível de atração e como ela é afetada pelo senso de humor da pessoa, os pesquisadores analisaram a interação entre 50 alunos universitários do sexo masculino com 50 alunas da mesma faixa etária. Essa interação aconteceu no mesmo molde dos encontros-relâmpagos, com apenas quatro minutos para que os casais conversassem.

Antes de conhecer pessoalmente os participantes, os pesquisadores usaram fotografias para classificá-los como mais ou menos atraentes. Então o encontro-relâmpago começou. Cada estudante participou de cinco a dez encontros com pessoas do sexo oposto. Depois de cada encontro, os alunos respondiam a uma série de questões sobre a interação, incluindo o quão atraente e engraçada era a outra pessoa, e se eles haviam ficado interessados em se envolver romanticamente com ela.

Quando as notas dadas pelos pesquisadores foram comparadas com a dos participantes, foi observado que as pessoas classificadas como mais engraçadas também eram consideradas mais atraentes quando comparadas com as notas-controle dos pesquisadores.

Esse efeito era ainda mais forte em homens. Outro resultado curioso é que aqueles que eram classificados como menos engraçados pelos estudantes também foram classificados como menos atraentes pelos pesquisadores a partir das fotografias.

O trabalho foi apresentado no início do mês de agosto de 2017 no encontro anual da Associação Americana de Psicologia, mas ainda não foi publicado em uma revista com revisão da comunidade científica. [Live Science]